da imensa e insólita maresia que nos separa
um marulhar de cânticos desfolhados

do tempo que voa até mim
o gesto lírico da emoção

das mãos do alfaiate do universo
a canção do mundo

entre muitos, 
um fio de palavras de veludo
a tecer a nudez de um verso

1 comentário:

  1. a tecer a nudez de um versos

    as palavras são de veludo

    que belíssimo poema!

    parabéns.

    ResponderEliminar