(...) sinfonia utópica
suada dos recantos mais velados

(...) a cada curva do universo
a cada estrela que se agarra
a cada dia que se apaga em noite árida

(...) a ecoar na sombra côncava do tempo

Sem comentários:

Enviar um comentário